Programa de cardio-oncologia

O advento de quimioterápicos cada vez mais eficazes tem aumentado a sobrevida de pacientes com câncer. Por outro lado, podem surgir efeitos sobre o sistema cardiovascular decorrentes da cardiotoxicidade induzida por esses medicamentos. Esses efeitos podem ser mais frequentes em pacientes que já tenham doença cardiovascular (DCV). Dentre esses efeitos, a disfunção ventricular, com ou sem insuficiência cardíaca (IC), é a mais frequente. Por esse motivo, os pacientes com câncer precisam de um monitoramento cardiológico cuidadoso e medidas seriadas da função ventricular ao Ecocardiograma. Mais do que isso, cardiologistas e oncologistas precisam atuar conjuntamente a fim de proteger o coração e, ao mesmo tempo, tratar o câncer, garantindo qualidade de vida às pessoas com câncer. Uma nova área de conhecimento – a cardio-oncologia – foi criada com esse objetivo, e nos últimos 5 anos, vários avanços na detecção precoce, diagnóstico, tratamento e prevenção das DCV em pacientes com câncer têm sido alcançados. Com o mesmo objetivo, a UCI vem implantando o programa de cardio-oncologia em parceria com grupos de oncologia de Brasília.

Conheça melhor os diferenciais desse programa:

  • Fluxo preferencial com agendamento rápido e prioritário – o paciente sob tratamento quimioterápico será atendido na mesma semana. Se não houver vaga disponível para esse período, vagas de encaixe poderão ser ofertadas em menor tempo conforme demanda do paciente ou do médico solicitante. Basta informar que está sob uso de quimioterapia.
  • Consulta e/ou Ecocardiograma num mesmo turno com emissão imediata de laudos e relatórios – Laudos de exames serão liberados imediatamente, o paciente será atendido nesse mesmo turno, pelo cardiologista. O cardiologista também poderá liberar imediatamente o relatório com orientações caso já disponha de uma avaliação laboratorial. Para isso, a UCI firmou parceria com o Sabin para que os exames laboratoriais sejam colhidos com antecedência na residência do paciente (caso deseje).
  • Laboratório de Ecocardiograma digital – o que permite arquivamento digital das imagens e rápido acesso aos clips das imagens anteriores (em movimento). Isso permite que os ecos seriados sejam comparados para flagrar mudanças sutis na função ventricular.
  • Utilização de método avançado de Ecocardiograma – strain longitudinal – que aliado à medida da FEVE (fração de ejeção ventricular esquerda) permite uma monitorização mais confiável e acurada da função ventricular e detecção precoce de cardiotoxicidade mesmo em indivíduos assintomáticos.
  • Canal de comunicação direto entre a Equipe da UCI e Equipe de Oncologia – A equipe médica da UCI estará sempre disponível para se comunicar diretamente com a equipe médica de oncologia.